COMUNIDADES DE VIDA E ORAÇÃO - Vigiai, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor (Mateus 24,42)
Documento sem título
 




 
 
10/02/2012
A CÁTEDRA DE SÃO PEDRO
 
“Dentre todos os homens do mundo, Pedro foi o único escolhido para estar à frente de todos os povos chamados à fé, de todos os apóstolos e de todos os padres da Igreja. Embora no povo de Deus haja muitos sacerdotes e pastores, na verdade, Pedro é o verdadeiro guia de todos aqueles que têm Cristo como chefe supremo.

Deus dignou-se conceder a este homem, caríssimos filhos, uma grande e admirável participação no seu poder. E se ele quis que os outros chefes da Igreja tivessem com Pedro algo em comum, foi por intermédio do mesmo Pedro que isso lhes foi concedido.

    (...) Jesus lhe respondeu: ...És feliz, porque o meu Pai te ensinou, e a opinião humana não te iludiu, mas a inspiração do céu te instruiu; não foi um ser humano que me revelou a ti, mas sim aquele de quem sou o Filho unigênito.

    Por isso eu te digo, acrescentou, como o Pai te manifestou a minha divindade, também eu te revelo a tua dignidade: Tu és Pedro (Mt 16,18). Isto significa que eu sou a pedra inquebrantável, a pedra principal que de dois povos faço um só (cf. Ef 2,20.14), o fundamento sobre o qual ninguém pode colocar outro. Todavia, tu também és pedra, porque és solidário com a minha força. Desse modo, o poder, que me é próprio por prerrogativa pessoal, te será dado pela participação comigo.
Dos Sermões de São Leão Magno, papa
Ofício das Leituras - Liturgia das Horas



Tu és Pedro
1Pd 5,1-4        Sl 22        Mt 16,13-19
O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.
Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome. (Sl 22)

 

 

Primeira Carta de São Pedro 5,1-4


Caríssimos, 1exorto aos presbíteros que estão entre vós, eu, presbítero como eles, testemunha dos sofrimentos de Cristo e participante da glória que será revelada: 2Sede pastores do rebanho de Deus, confiado a vós; cuidai dele, não por coação, mas de coração generoso; não por torpe ganância, mas livremente; 3não como dominadores daqueles que vos foram confiados, mas antes, como modelos do rebanho. 4Assim, quando aparecer o pastor supremo, recebereis a coroa permanente da glória. — Palavra do Senhor.


Evangelho de Jesus Cristo, † segundo Mateus 16,13-19

 

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” 14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. 15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” 16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.
17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”. — Palavra da Salvação.

 

 

Reflexão


A nossa Igreja tem “as chaves do reino dos céus” (Mt 16,19). Por isso, tudo o que ela ligar “na terra, será ligado nos céus” (Mt 16,19), e tudo o que ela desligar “na terra, será desligado nos céus” (Mt 16,19). Além disso, ela pode atacar as portas do inferno, pois este não prevalecerá “contra ela” (Mt 16,18). Assim, a Igreja pode levar o mundo a Jesus, e também pode, com o poder de Deus (2Cor 10,4), lutar contra Satanás e esmagá-lo (Rm 16,20).

Entretanto, pelo que se vê no mundo atual, com tantos problemas, discórdias, guerras, pornografia, racismo, fome, abortos etc., a ação da Igreja parece estar muito aquém do esperado. Isso é o resultado da falta de união dos cristãos em torno da única Igreja de Cristo, aquela que Jesus edificou sobre Pedro, o primeiro papa, para unir a todos. A Igreja é o próprio corpo de Cristo (1Cor 12,12), e, como em todo corpo, todos os membros devem estar unidos para que o corpo funcione, adequadamente, sob uma única liderança.Tendo por base a escolha de Pedro, não há dúvidas de que o papa é a pessoa chamada por Jesus, para liderar Sua Igreja, e reconduzir os cristãos à unidade. Se nós obedecermos a Jesus, nós, cristãos, seremos um, e Sua Igreja será capaz de vencer as terríveis batalhas para as quais foi destinada. Jesus, certamente, continua a orar pela nossa unidade (Jo 17,21), e espera que sejamos “solícitos em conservar a unidade do Espírito, no vínculo da paz” (Ef 4,3). Somente unidos, nós, cristãos, poderemos ajudar a “reunir em Cristo todas as coisas; as que estão nos céus e as que estão na terra” (Ef 1,10). Quem não deseja a união, não quer ver esse objetivo do Senhor realizado. Alguém assim só pode estar a serviço do inimigo.



Cátedra de São Pedro

A Cátedra de São Pedro era comemorada em duas datas, que marcaram as mais importantes etapas da missão deixada ao apóstolo pelo próprio Jesus. A primeira, em 18 de janeiro se comemorava a sua posse em Roma, a segunda, em 22 de fevereiro, marca o aparecimento do Cristianismo na Antioquia, onde Pedro foi o primeiro bispo.

Por se tratar de uma das mais expressivas datas da Igreja o martirológio decidiu unificar os dois dias e festejar apenas o dia 22 de fevereiro, que é a mesma data do livro "Dispositio Martyrum", único motivo da escolha para a celebração.

Cátedra significa símbolo da autoridade e do magistério do bispo. É daí que se origina a palavra catedral, a igreja-mãe da diocese. Estabeleceu-se então, a Cátedra de São Pedro para marcar sua autoridade sobre toda a Igreja, inclusive sobre os outros apóstolos.

Sem dúvida alguma foi o mais importante dos escolhidos por Jesus Cristo. Recebendo a incumbência de se tornar a pedra sobre a qual seria edificada Sua Igreja, Pedro assumiu seu lugar de líder, atendendo a vontade explícita de Jesus, que lhe assinalou a tarefa de "pascere" em grego, isto é guiar o novo povo de Deus, a Igreja.

Veremos de fato que Pedro desempenhando, depois da Ascensão, o papel de guia. Presidiu a eleição de Matias e foi o orador do dia de Pentecostes. Mais tarde enfrentou a perseguição de Herodes Agripa, que pretendia matá-lo para aplicar um duro golpe no cristianismo. Implantou as fortes raízes do catolicismo em Antioquia, e então partiu para Roma, onde reinava o imperador Cláudio.

A Igreja ganhou grande força com a sua determinação. Alguns fatos históricos podem ser comprovados através da epístola de São Paulo aos Romanos, do ano 57. Nela, este apóstolo descreve o crescimento da fé cristã, em todos os territórios dos domínios deste Império, como obra de Pedro.

Mas foi na capital, Roma, que Pedro deu impulso gigantesco à expansão do Evangelho, até o seu martírio e a morte, que aconteceram na cidade-sede de toda a Igreja. Conforme constatação extraída dos registros das tradições narradas na época e aceita por unanimidade pelos estudiosos, inclusive os não cristãos. Posteriormente atestadas, de modo histórico irrefutável, pelas escavações feitas em 1939, por ordem do Papa Pio XII, nas Grutas Vaticanas, embaixo da Basílica de São Pedro, e cujos resultados foram acolhidos favoravelmente também pelos estudiosos não católicos.






 
 
 

Artigo Visto: 816 - Impresso: 34 - Enviado: 17
Ajude a manter a nossa obra de evangelização e o nosso site no ar, faça uma doação.

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.cidadaosdoinfinito.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 145 - Total Visitas Únicas: 293984 - Usuários online: 22