COMUNIDADES DE VIDA E ORAÇÃO - Vigiai, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor (Mateus 24,42)
Documento sem título
 




 
 
07/01/2012
ORIENTAÇÕES PARA LER A BÍBLIA
Roteiro completo do Padre Jonas Abib
 
Todos os passos e métodos para melhor entender


I) Em que ordem ler a Bíblia?
 
 
Há pessoas que abrem a Bíblia no início e começam a ler a partir do Gênesis. Elas em geral não passam do quinto livro. Desanimam e não retornam mais. É necessário um Plano de Leitura. Há vários. Apresento aqui um determinado plano. Siga a ordem indicada aqui. Ela faz parte do método.
 
1. Começar pela 1a. Carta de São João
A primeira necessidade de um cristão é ter certeza de sua salvação. É saber que Deus o ama e o escolheu. Gratuitamente, sem nenhum merecimento seu. Se tivéssemos de esperar até sermos suficientemente "bons" para nos "tornar dignos" da salvação, nós nunca o seríamos. Não depende do mérito; ela acontece por amor.
Dos 73 livros da Bíblia, só essa pequena carta foi escrita com esse propósito: nos dar a certeza da Salvação. Na conclusão de sua carta, São João diz: "Isto vos escrevi para que saibais que tendes a vida eterna, vós que credes no nome do Filho e Deus" (1Jo 5,13).
Trata-se de uma realidade boa demais para ser verdade! E somente a Palavra de Deus pode nos persuadir dela. É por isso que você vai ler a Carta inteira DUAS vezes: para se convencer, pela Palavra de Deus, da mais linda realidade de sua vida.
2. Leia o Evangelho de São João
Porquê o Evangelho de São João? O próprio São João declara a finalidade do seu trabalho: "Para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome" (Jo 20,31).
João apresenta no seu Evangelho esses ensinamentos, esses milagres e esses fatos da vida de Jesus para que não restem dúvidas quanto à sua identidade: ele é o Cristo, o Filho de Deus vivo. Mais ainda: João escreve tudo isso para que acreditemos e, acreditando, tenhamos a vida em Seu nome.
O Evangelho de São João é um evangelho mais teológico; menos narrativo e mais espiritual.
3. Trabalhe agora com o Evangelho de São Marcos
O Evangelho de São Marcos é o mais dinâmico: a sua narrativa é muito viva. É também o mais curto. Em apenas 16 capítulos, Marcos narra toda a vida de Jesus desde o início de sua missão pública. Você vai ter uma visão global da vida de Jesus.
4. Chegou a hora de ler as cartas de São Paulo
Você já está preparado para entrar no estudo das chamadas "pequenas cartas" de São Paulo. São cartas que o Apóstolo enviou às comunidades que ele mesmo iniciou e consolidou. São algo bem prático, deveras vivencial: elas retratam muito da nossa atual situação.
Leia de acordo com a ordem em que elas se encontram na Bíblia: Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1a e 2a Carta aos Tessalonicenses, 1a e 2a Carta a Timóteo, Tito e Filêmon. Vai ser uma aventura. Você já estará navegando em alto mar.
Se você conseguir, especialmente nos tempos livres, ler uma carta toda de uma vez, vai ser muito bom. Trata-se de cartas, e precisamos lê-las como tais. Elas formam um todo: têm começo, meio e fim. Assim fazendo, você vai captar o seu conteúdo.
5. Agora vamos examinar o Evangelho de São Lucas
Você já trabalhou com o Evangelho de São João, que é mais teológico, e com o Evangelho de São Marcos, que é uma narrativa mais viva e mais rápida. Agora é o momento de enfrentar uma narrativa mais completa e mais longa. Nele, os acontecimentos da vida de Jesus são narrados com mais detalhes.
6. Prossiga com os Atos dos Apóstolos
O livro dos Atos dos Apóstolos é a continuação natural do Evangelho de Lucas. É o próprio Lucas que continua a narrar a poderosa ação do Espírito Santo na vida dos apóstolos depois da ascensão de Jesus.
Atos dos Apóstolos refere-se as "ações", às "façanhas" dos apóstolos, que, plenos do Espírito Santo, dão início à Igreja de Jesus. Trata-se de uma narrativa vibrante. Para nós que vivemos hoje essa graça do derramamento do Espírito e do retorno da abundância dos seus carismas e graças, essa é uma narrativa muito esclarecedora.
7. Vá agora para a Carta aos Romanos
A Carta aos Romanos é a carta apropriada a quem já trabalhou com 3 dos Evangelhos e com os Atos dos Apóstolos. É a carta mais rica em ensinamentos doutrinários. Merece destaque o vibrante ensinamento sobre a salvação gratuita que nos é dada mediante a fé.
8. O trabalho com os outros textos do NT
Agora vamos trabalhar com os outros textos do NT, começando pelo Evangelho de Mateus. Esse é um evangelho bem completo.
Em seguida, passe para a 1a e 2a Carta aos Coríntios. Nelas, são Paulo se debruça sobre a comunidade de Corinto. Conclua as cartas paulinas lendo a Carta aos Hebreus.  
Passe logo depois à Carta de São Tiago. Você verá como ela é prática: é outro estilo.
Leia em seguida as 2 cartas do apóstolo São Pedro. Não deixe de ler as 2a e 3a cartas de São João, nem a Carta de São Judas.
Por fim, enfrente o Livro do Apocalipse, também escrito por São João. Leia as introduções e as notas explicativas que puder encontrar para entender da melhor maneira esse livro.
Você pode encerrar o trabalho com o NT retornando à 1a Carta de São João e ao Evangelho de São João. Você verá que eles têm agora um novo sabor. Você termina por onde começou, fechando esse ciclo.
 
II) Mãos à Obra. Vamos fazer juntos o Diário Espiritual!
Quero ajudar você a fazer o seu Diário Espiritual. Porque não basta ler: o trabalho com a Bíblia se completa com o Diário Espiritual. As pessoas em geral têm preguiça de escrever e acham até estranho fazê-lo. Por que é preciso escrever? Não basta ler? Eu digo a você: não basta ler. A receita é ler e escrever. Como a palavra diz, trata-se de um diário. A gente lê todos os dias e faz o diário todos os dias.
Pegue a sua Bíblia, ou o NT, e comece a ler a 1a. Carta de São João. O capítulo 1 é tão curto que é bom completá-lo com o capítulo 2.
Pegue um caderno. Ele vai servir exclusivamente para o seu Diário Espiritual. Ponha no alto da página a data e, em seguida, anote o trecho lido: 1Jo 1-2.
A primeira coisa que você vai anotar, todos os dias, são as promessas de Deus que você encontrou na leitura. É muito importante anotar as promessas de Deus. Ele as cumpre. Se você reparou bem, no final do capítulo 1, o versículo 9 diz: "Se reconhecermos os nossos pecados, Deus aí está, fiel e justo, para nos perdoar os pecados e para nos purificar de toda iniquidade". É ou não uma promessa? E que promessa! Deus aí está, fiel e justo, para nos perdoar os pecados. Basta-nos cumprir uma única condição: reconhecer os nossos pecados.
Vamos agora anotar. Escreva no seu caderno: "Promessa". Agora copie o trecho e ponha a citação: 1Jo 1,9. O Cap 2, vs 25 é bem claro, porque nele aparece a palavra promessa: "Eis a promessa que ele nos fez: A vida eterna". Essa é a promessa de Deus, e não é pouca coisa: é a vida eterna. Anote e ponha a citação.
O segundo item que você anota são as ordens de Deus. Se são ordens, elas precisam ser cumpridas. Para isso, temos de conhecê-las. Veja 1Jo 2,15. Não há aí uma ordem? Anote então: "Não ameis o mundo, nem as coisas do mundo. Se alguém ama o mundo, não está nele o amor do Pai". Observe que em 1Jo 2,28 há outra importantíssima ordem. Nem vou apresentá-la aqui. Encontrou? Então anote.
A terceira coisa que se anota no Diário Espiritual são os Princípios Eternos. Veja 1Jo 1,5. Temos aí um princípio eterno. Nada o mudará. Queiramos ou não, é assim porque é assim. "Deus é luz e nele não há treva alguma." Continue com os vs 6 e 7. Eles também trazem princípios eternos. São princípios que regem o Reino de Deus. Anote. Veja 1Jo 2,9. Não se trata de um princípio eterno? Vá em frente com os versículos 10 e 11. Percebeu? Então anote.
São, portanto, 3 coisas: Promessas, Ordens e Princípios Eternos.
Em seguida, você vai anotar coisas muito concretas e pessoais:
1) Qual a mensagem de Deus para mim no dia de hoje? No texto que leu, você vai encontrar a mensagem que Deus tem para você no dia de hoje. É só prestar atenção. Em seguida, escreva.
2) Como posso colocar isso em prática na minha vida? Como pôr em prática tudo o que você leu, tudo o que Deus lhe falou? Ponha isso por escrito.
 
III) Como fazer o Diário Espiritual
O segredo do Diário está em ser diário: todos os dias. Use um caderno, caderneta, agenda ou fichário. Reserve uma folha em branco para cada dia. No alto de cada página, ponha a data do trabalho: dia da semana, mês e ano. Depois, desenvolva de sua maneira pessoal o Diário, considerando os cinco itens a seguir.
1. Promessas de Deus                                                                                                No trecho que você ler a cada dia, é bem capaz que você encontre promessas de Deus. São promessas de um Deus fiel que sempre cumpre a palavra dada a seus filhos. Podemos confiar nas promessas de Deus. Podemos correr riscos por elas: Deus não falha. Por isso, vale a pena conhecer as promessas que ele nos faz. E, o que é mais importante, devemos gravá-las em nossa mente e em nosso coração. Assim, anote diariamente as promessas de Deus que encontrar na leitura.
Nem sempre vamos encontrar promessas divinas nos trechos que lermos. Se não as encontrarmos, nada teremos a anotar. Contudo, são tantas as promessas de Deus que encontraremos muitas, e com frequência. Eis alguns exemplos:
Mt 18,20: "Onde 2 ou 3 estão reunidos em meu nome, aí estou no meio deles". Ef 6,8 "E estais certos de que cada um receberá do Senhor a recompensa do bem que tiver feito".
2. Ordens de Deus a ser obedecidas                                                                                                                                             Deus, que é Pai, tem prescrições claras para nortear a nossa vida. Ele manda, prescreve, proíbe, ordena. Tudo para nos conduzir como filhos muito amados. Seguir seus mandamentos, obedecer-lhe as ordens, é o segredo da vida.
É do nosso interesse, portanto, conhecer e guardar as ordens que Deus nos dá. Tal como acontece com as promessas, as ordens de Deus são abundantes na Bíblia, embora não as encontremos em todas as passagens que lermos. Porém, sempre que você encontrar uma ordem de Deus, anote-a no seu Diário.
A ordem mais conhecida é: "Amai-vos uns aos outros como vos tenho amado" (Jo 13,34). Lc 6,27-28 "Amai os vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, abençoai aos que vos maldizem e orai pelos que vos injuriam". Em geral, o verbo no imperativo - dai, fazei, ide, buscai, recebei, perdoai, sede... - é sinal de uma ordem.
3. Princípios Eternos                                                                                                                                                                               O Reino de Deus é regido por princípios eternos, imutáveis, leis permanentes. O Reino de Deus funciona da maneira descrita nesses princípios. É vital que os filhos do Reino conheçam os princípios pelos quais ele é regido.
Deus quer revelar aos seus filhos os segredos do Reino, os mistérios do mundo sobrenatural. Eis por que a Palavra de Deus está repleta de princípios. No início, parece difícil, mas em pouco tempo você conseguirá identificar esses princípios eternos, essas leis permanentes do Reino de Deus. Alguns exemplos:
Lc 6,36 "Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados, perdoai e sereis perdoados". É assim que funciona no Reino de Deus.                                                                                                                                                 Lc 18,14 "Todo aquele que se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado". Queiramos ou não, é assim que acontece: isso é imutável.                                                           1Tm 6,7 "Porque nada trouxemos a este mundo, como tampouco nada poderemos levar".
4. Mensagem de Deus para mim hoje                                                                                                                                           Em tudo quanto você já leu, qual é a mensagem de Deus para você? É certo que Deus tem uma mensagem para você. Basta ficar atento, em atitude de expectativa, para descobri-la.                                                                                            Anote a mensagem todos os dias. Não deixe que ela se perca. Faça anotações bem pessoais, com as suas próprias palavras.
5. Como posso aplicar isso em minha vida ?                                                                                                                             Esta é a parte mais pessoal e concreta de todo o Diário. O próprio Deus vai inspirá-lo todo dia a perceber de que maneira poderá aplicar à sua vida concreta as coisas que leu e com as quais trabalhou.
Tome nota. Não basta descobrir, é importante também anotar diariamente. Suas anotações serão um roteiro para a sua vida. O fato de registrarmos por escrito o que Deus nos inspira a pôr em prática na nossa vida transforma de maneira decisiva nossa maneira de ser e de agir, bem como o nosso relacionamento com Deus.
6. Porquê fazer o Diário Espiritual escrito?                                             
Porque é uma excelente maneira de registrar as revelações recebidas diariamente da Palavra de Deus. É um tesouro que não se pode perder.
Porque cria em nós uma saudável atitude de expectativa. Ficamos atentos e de coração aberto.
Porque ajuda-nos a verificar a nossa própria fidelidade, a ser sérios e honestos com relação a nós mesmos. 
Porque facilita a revisão: Revisão semanal e mensal. Cada revisão é um passo a mais na conquista do verdadeiro conhecimento da Palavra.                               
7. Você pode dizer: "Meu Diário Espiritual"
O Diário é seu e só seu. Você pode tê-lo em sigilo. É um direito seu que os outros precisam respeitar. Isso vai ajudá-lo a respeitar o seu próprio Diário e a ter toda a liberdade de registrar nele tudo o que for importante para a sua caminhada e o seu crescimento espiritual. Será a sua caminhada, o seu crescimento.
Portanto, não faça do seu Diário apenas uma coisa técnica, e muito menos um dever de casa. Ele é o seu Diário Espiritual. Além do trabalho bíblico, você vai registrando nele tudo o que Deus vai dizendo a você e fazendo em você.
Nele, você vai anotando as Palavras de Deus, as inspirações, as correções que ele lhe indica; as experiências e acontecimentos espirituais que você vivenciou; os rumos que Deus lhe aponta; os propósitos que você fixa e as decisões que toma.
Nele, você registra a revisão e o balanço de vida que fizer. O resultado dos seus retiros, encontros, leituras e até confissão e direção espiritual. Afinal, ele é o seu Diário Espiritual. Você não precisa de dois diários - um bíblico e um "pessoal" - e talvez nem deva tê-los. Não, porque você é uma só pessoa, você faz uma única caminhada.
 
Resumindo para ver os itens que devem constar no seu Diário Espiritual.

Plano de Leitura do NT

1.      1a Carta de São João (ler 2 vezes seguidas)
2.      Evangelho de São João
3.      Evangelho de São Marcos
4.      Pequenas cartas de São Paulo: Gálatas; Efésios; Filipenses; Colossenses; 1 e 2    Tessalonicences; 1 e 2 Timóteo; Tito e Filêmon
5.      Evangelho de São Lucas
6.      Atos dos Apóstolos
7.      Carta aos Romanos
8.      Evangelho de São Mateus
9.      1 e 2 Carta aos Coríntios
10. Hebreus
11. Carta de São Tiago
12. 1 e 2 Carta de São Pedro
13. 2 e 3 Carta de São João
14. Carta de São Judas
15. Apocalipse
16. 1a Carta de São João (pela terceira vez)
17. Evangelho de São João (pela segunda vez)

Diário Espiritual
1.      Promessas de Deus
2.      Ordens a obedecer
3.      Princípios eternos
4.      Mensagem de Deus para mim hoje  aplica
 
IV) Regras de Ouro para ler a Bíblia
1. Leia a Bíblia todos os dias
Eis a principal regra de ouro: ler a Bíblia todos os dias. Sem exceção. Leia quando tiver vontade e quando não tiver também! É como remédio: com ou sem vontade, tomamos, porque é necessário. Assim como você alimenta o corpo todos os dias, alimente diariamente o seu espírito com a Palavra de Deus.
Tem gente que não consegue dormir sem tomar banho. Essas pessoas se viram e se reviram na cama sem poder dormir. Se você não conseguir ler durante o dia, o seu espírito ficará pedindo um banho da Palavra de Deus. Não deixe de dar ao seu espírito o que você dá ao seu corpo! Que eu e você sejamos assim: que não possamos dormir sem o banho da leitura da Palavra de Deus.
 
2. Tenha uma hora marcada para a leitura
Para grande parte das pessoas, a melhor hora de ler é de manhã cedinho. Elas se levantam cedo para ler a Bíblia e fazer o seu trabalho com o Diário Espiritual, antes das outras ocupações e do começo do movimento em casa. Trata-se de um costume maravilhoso. E certamente o que mais rende. Além disso, tem-se a vantagem de iniciar o dia com a Palavra de Deus.
Há, porém, quem tenha dificuldades para fazer isso. São pessoas que, pela manhã, sentem-se pesadas, sonolentas. Parece que a cabeça não funciona. Elas não conseguem se concentrar. E não adianta fazer esforço, pois terminam por gastar tempo para alcançar pouco. Essas pessoas em geral rendem mesmo à noite. Apesar do cansaço do dia, de noite sua mente fica desperta, ativa... Se para você o período bom for o noturno, não hesite: trabalhe com a Bíblia à noite. Fazer isso também tem vantagens: você prolonga a leitura até a hora que quiser e vai dormir com um bom conteúdo na mente. E o seu inconsciente com certeza vai trabalhar com todo esse material.
O importante é descobrir o melhor período para você. E fazer dele a sua hora marcada, sendo-lhe fiel, sem exceções.
 
3. Marque a duração da leitura
Marque a duração da leitura e seja-lhe fiel. É preferível 10 minutos todos os dias do que ser levado pelo entusiasmo de quem começa e não segue em frente. Se você deseja fazer bem o trabalho que estamos propondo, comprometa-se com meia hora ou 40 minutos.
É claro que não é muito tempo. Senão vejamos: quanto tempo você gasta com as refeições? E no banho? Não é verdade que gastamos muito mais tempo com coisas bem menos necessárias? Jornais, revistas, espelho, televisão...
Muitas pessoas que, de início, exigiram muito de si mesmas a fim de fazer com seriedade e constância esse trabalho, hoje percebem que esse tempo se tornou curto. Elas precisam de mais tempo. O trabalho ficou com gosto de "quero mais"...
 
4. Escolha um bom lugar
Ter o cantinho da gente é muito bom. E não precisamos de nada especial. O que importa é contar com um lugar tranquilo, silencioso, que facilite a concentração e favoreça a criação de um clima de oração. Faz bem ir todos os dias para o nosso cantinho e nele fazer o nosso trabalho com a Bíblia.
Lembre-se, todavia, que o lugar é uma coisa secundária: ele é apenas um meio para trabalharmos melhor e com maior resultado. Importante mesmo é, em qualquer lugar, realizar com dedicação a nossa tarefa. Se, num determinado dia, não se puder fazer o trabalho na hora marcada ou no lugar escolhido, não faz mal. Em qualquer lugar e a qualquer hora, faremos o nosso trabalho. O essencial é não deixar de ler a Bíblia e de fazer o Diário Espiritual.
 
5. Leia com lápis ou caneta na mão
Não se trata de simplesmente ler; devemos fazer uma leitura ativa. Um meio simples mas eficaz é ler com lápis ou caneta na mão. Sublinhe as passagens mais importantes, tudo o que chamar a sua atenção, as coisas que lhe falaram e que o tocaram de modo especial.
Não tenha receio de riscar a sua Bíblia. Ela é um instrumento de trabalho.
Muita gente estranha o fato de riscarmos a Bíblia. Acham até falta de respeito. Mas, pelo contrário, Jesus se fez alimento e quer que comamos o seu corpo e bebamos o seu sangue, porque alimento foi feito para ser ingerido. Não é falta de respeito comer; não comer esse alimento que o Senhor nos oferece é que seria. Do mesmo modo, a Bíblia é o nosso instrumento de estudo e de trabalho. Não é falta de respeito riscar a Bíblia. Em vez disso, deixá-la limpa e não usá-la é que seria.
Eu até costumo usar uma caneta de 4 cores, assinalando passagens ora com uma cor, ora com outra. Isso ajuda: põe trechos em destaque, diferencia. Faça sinais que sejam significativos para você, de modo que o mais importante da Palavra ressalte e chame a sua atenção, ficando gravado em sua memória com mais facilidade.
Por outro lado, ler com a caneta na mão, assinalando as passagens, é uma maneira de fazer uma leitura mais ativa. A gente fica mais atento, se concentra melhor, se distrai menos e grava com mais facilidade. A palavra escrita salta do papel para os olhos, é retida pela inteligência e impressa no coração.
Faça anotações. Você vai ficar com a sua Bíblia bem marcada. Vai ser fácil você se lembrar das passagens e encontrá-las quando procurar. Além disso, isso facilita a concentração na leitura, o entendimento da mensagem e a impressão do que é lido na mente e no coração.
 
6. Faça tudo em espírito de oração
Você não está apenas estudando a Bíblia. Você está buscando um encontro com a Palavra de Deus. Está à procura de um contato íntimo com a Palavra Viva do Deus Vivo, que fala a você.
Trata-se de um diálogo: você escuta, você acolhe, você se toca, se sensibiliza, responde. É um encontro vivo entre pessoas vivas, um encontro de pessoas que se amam mutuamente. Muitos experimentaram essa relação. Experimente você também.
O principal interesse de Deus não é tanto fazer você escutar, mas falar com você. Ele deseja instruir você. Quer conduzi-lo ao conhecimento da verdade. Por isso, esteja atento, fique alerta; mantenha-se numa atitude de expectativa. Deus tem algo de bem pessoal e concreto para lhe dizer!
 
7. Tenha uma edição de bolso para ler nas horas vagas
Vale a pena ter, além da Bíblia, uma edição de bolso dos Evangelhos ou de todo o NT. Melhor ainda se for uma dessas edições do NT e Salmos, que você possa levar no bolso ou na bolsa.
Para quê? Para você ler nas horas vagas. A gente acaba encontrando tantas horinhas vagas... Nesses momentos, você vai lendo o que já viu e as partes das quais fez o Diário; ou então prossegue na leitura. Isso não torna desnecessário seguir o método nem fazer o Diário, mas vai nos familiarizando cada vez mais com a Palavra de Deus.
Há quem faça o Diário à noite e, durante o dia, já vá lendo e relendo o trecho do dia. Outros fazem o Diário de manhã cedinho e começam na véspera a ruminar a Palavra. São excelentes costumes.
 
V) Leitura dos livros do Antigo Testamento
O portal de entrada do AT são os Salmos. Faça deles o seu livro de cabeceira. Eu já lhe disse que vale a pena ter uma edição de bolso do NT com os Salmos no final para você levar consigo continuamente e ir lendo nos momentos livres.
De qualquer maneira, o que quero acentuar aqui é que você deve trabalhar com os Salmos independentemente de alguma ordem específica. Sempre que se sentir impelido a isso, leia um Salmo. Faça o seu Diário sobre ele, sem receio de interromper o trabalho que estiver fazendo na sequência. Salmo é como fruta: comemos a qualquer hora, pouco importando as refeições. E nunca faz mal. Sempre faz bem.
Vamos entrar agora nos livros do AT. Nessa etapa, você não precisa ler apenas um capítulo por dia. Leia e trabalhe com quantos capítulos puder. O AT é longo... Avance o quanto puder. O importante é não deixar de fazer, "diariamente", o Diário.
Não se distancie do NT, especialmente dos Evangelhos. Aplique-se a ele nas suas leituras dos tempos livres, levando o seu livro de bolso com você. Além disso, quando sentir necessidade, retorne a algum ponto do NT; dedique-se a ele, fazendo o Diário. A necessidade é sua; você é que a vai sentir e administrar. Não receie interromper por algum tempo o trabalho com o AT.
Leia os livros do AT na ordem cronológica: das Origens à Vinda de Cristo.
1.      Gênesis  -
2.      Êxodo
3.      Números
4.      Josué
5.      Juízes
6.      1 Samuel
7.      2 Samuel
8.      1 Reis
9.      2 Reis
10.Amós (por volta do ano 760 a.C.)
11.Oséias (ano 750 a.c.)
12.Isaías (ano 740 a.c. - Atenção: leia apenas do capítulo 1 ao 39, que se referem a essa época.)
13.Miquéias (ano 725 a.c.)
14.Naum (ano 625 a.c.)
15.Sofonias (ano 625 a.c.)
16.Habacuc (ano 605 a.c.)
17.Jeremias (ano 600 a.c.)
18.Lamentações de Jeremias
19.Ezequiel (ano 580 a.c.)
20.Abdias
21.Isaías (apenas do capítulo 40 ao 55)
22.1 Crônicas (salte as genealogias: capítulos 1 a 9)
23.2 Crônicas
24.Esdras
25.Neemias
26.Ageu (ano 520 a.c.)
27.Zacarias (ano 520 a.c.)
28.Isaías (capítulos 56 a 66)
29.Malaquias (ano 440 a.c.)
30.Joel
31.Jonas
32.Rute
33.Tobias
34.Judite
35.Ester
36.Eclesiástico
37.Cântico dos Cânticos
38.
39.Eclesiastes
40.1 Macabeus
41.2 Macabeus
42.Baruc
43.Daniel
44.Sabedoria
45.Levítico
46.Deuteronômio
Os livros do Levítico e do Deuteronômio apresentam a longa sucessão de leis e tradições judaicas. É bom conhecê-los. Nessa primeira leitura, no entanto, não haverá muita vantagem em lê-los. Quanto aos Salmos, depois do primeiro contato habitue-se a usá-los para sua meditação e oração. Independentemente de uma sequência pré-determinada, leia um salmo por dia e se aprofunde nele o mais que puder.
 
VI) Ruminação da Palavra
Com o passar dos anos, nós da Canção Nova, desenvolvemos a chamada Ruminação da Palavra. Trata-se de um bom método para quem já fez uma boa caminhada na seara da Palavra de Deus, especialmente para os que já seguiram o método básico de uso do Diário. Esse passo à frente é bom, é saudável, leva-nos a crescer e a nos aprofundar na Palavra.
A palavra Ruminação se adapta bem a esse método. Tal como os bovinos, comemos a Palavra de Deus e, em seguida, paramos e começamos a ruminar o conteúdo engolido.
 
O método tem 5 etapas ou movimentos: ler, saborear, orar, contemplar e escrever.
 
1. LER:
Escutamos a palavra de Deus. É a hora de engolir. É uma leitura bem ativa: lemos com lápis ou caneta na mão, sublinhando e destacando elementos essenciais: verbos, sujeitos ativos, ações, atitudes, pensamentos, a situação, os motivos das ações.
Mais do que ler, na verdade, relemos várias vezes, fazendo com a caneta todas essas anotações. Podemos recorrer a outras traduções que ajudem a esclarecer. Lançar mão de introduções, explicações e notas de rodapé, hoje abundantes em nossas Bíblias. Podemos também comparar com as passagens paralelas, em geral indicadas nas margens das páginas da Bíblia ou logo depois dos títulos.
Vamos prestando atenção aos vários pontos indicados e nos deixamos levar de uns para os outros a partir do seu próprio movimento interior. Isso leva de modo natural a um surpreendente entendimento. É a luz que se faz do interior.
 
2. SABOREAR:
Poderíamos chamar essa etapa de meditar, pois na verdade é uma meditação da Palavra mastigada. Não o fazemos, contudo, para não dar a impressão errônea de que se trata de um trabalho puramente intelectual.
Na verdade, é chegado o momento de "sentir" a Palavra. O intelecto também participa dele, mas não está sozinho. Entram também os sentimentos, a nossa liberdade movida pelo Espírito, os vários movimentos da vontade.
Eis o principal momento em que devemos nos deixar impregnar pelos sentimentos que o Espírito Santo faz surgir em nós por meio da Palavra: alegria, medo, confiança, generosidade, arrependimento, esperança, entusiasmo etc. Os vários sentimentos, os vários impulsos que se misturam uns aos outros...
 
3. ORAR:
Como é de esperar, esses sentimentos nos levam a dar uma resposta. Brotam naturalmente o louvor, o arrependimento, a súplica, a gratidão, o pedido de perdão, a oferta, a adoração e assim por diante.
Mais do que uma oração por palavras, essa vai ser uma oração de sentimentos e de atitudes interiores. Umas poucas palavras nos prestarão simplesmente ajuda para nos exprimir e nos referir ora ao Pai, ora a Jesus, ora ao próprio Espírito Santo. É uma oração já bem simples e sobremodo interiorizada.
 
4. CONTEMPLAR:
Pouco a pouco, todos aqueles sentimentos que se misturavam e se multiplicavam em nós, os vários movimentos de oração por eles provocados vão se simplificando e se unificando em nosso íntimo. É a hora da tranquilidade, da harmonia, do repouso em Deus.
Eis o que significa contemplação: entramos, mediante a Palavra, no Templo de Deus que existe em todos nós e aí nos deixamos ficar repousando no Senhor.
Tendo entrado no repouso contemplativo, deixe-se ficar aí. Não estrague tudo nessa hora, como fazem alguns. Não queira voltar e insistir em orações, em palavras, em sentimentos... e muito menos em raciocínios e esquemas de ação. Entregue-se ao repouso de Deus. Dê ao Pai o prazer de estar com você.
A nossa pressa, a nossa mania de sempre agir e trabalhar, a nossa precipitação põem tudo a perder, fazendo-nos interromper o ciclo antes de ele chegar ao fim. Se nos comportamos assim, a verdadeira eficácia não tem mesmo como se manifestar.
Isso é interiorização: É uma oração que atinge o seu alvo, que fecunda a ação, que gera a eficácia em Deus.
 
5. ESCREVER:
O ponto de chegada é a contemplação. Contudo, depois que a rede está repleta de peixes, não se pode deixar que escapem e se vão. Apesar do gozo espiritual que a contemplação lhe traz, ponha-se a escrever: é o seu Diário Espiritual, feito agora de maneira distinta e certamente muito proveitosa.
Não é questão de escrever muito, nem é o momento de narrar ou descrever o que se passou. Agora, temos somente de registrar:
·         O que Deus me falou?
·         O que ele realizou em mim?
·         O que ele deixou depositado no meu interior?
Isso tudo é muito precioso; é algo que não se pode perder. Você também pode registrar:
·         O que, a partir dessa Palavra, Deus diz hoje de mim?
·         O que ele diz para mim?
Você recolhe o conteúdo depositado em seu ser dos dois lados: "O que diz de mim" e "o que diz para mim". Não estou fazendo um simples jogo de palavras. São duas maneiras de focalizar a questão. E não é difícil diferenciar. Veja:
 
1. O que Deus diz de mim?
- Do que sou, de quem ele me fez, das qualidades que ele mesmo me deu e quer que eu assuma e cultive.
- Da minha vocação e missão, do trabalho específico ao qual me destina e para o qual me capacitou com os dons naturais que me deu, com os carismas do Espírito Santo de que me dotou por graça.
 
2. O que ele diz para mim?
- O que ele quer de mim, que eu seja, que eu realize.
- Que atitudes quer que eu tome, o que quer que eu cultive.
- Por que caminhos ele quer que eu vá, que rumos me indica, que mudanças quer que eu assuma, o que quer transformar em mim.
Esse é um trabalho que exige mais? Sim, ele exige mais tempo, mais dedicação, mais interiorização. Não é trabalho para iniciantes. Mas, graças a Deus, é trabalho para muita gente. Se já estiver preparado, não deixe de dar esse passo à frente.
A Ruminação da Palavra é a medida perfeita para certos momentos-chave: para dias de retiro, deserto, revisão; em horas de discernimento, diante de escolhas e decisões.
 
 
 

A Bíblia no meu Dia-a-Dia
Pe. Jonas Abib

 




 
 
 

Artigo Visto: 742 - Impresso: 53 - Enviado: 17
Ajude a manter a nossa obra de evangelização e o nosso site no ar, faça uma doação.

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.cidadaosdoinfinito.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 274 - Total Visitas Únicas: 403937 - Usuários online: 29