COMUNIDADES DE VIDA E ORAÇÃO - Vigiai, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor (Mateus 24,42)
Documento sem título
 




 
 
31/12/2011
O NOSSO CHAMADO
E a nossa resposta
 

Somos chamados a ser:

“Discípulos e ministros do Amor Incondicional, para alívio do sofrimento.” 

Discípulos, pois devemos estar na condição de permanente escuta e intimidade com Jesus, o Amado de nossas almas. Ministros porque de toda experiência feita com Deus e em Deus somos enviados a ministrar a outros o que sentimos nos braços do Amor Incondicional. Somos chamados a sarar o coração humano pelo Amor Incondicional, vale a pena salientar que não existe sofrimento maior do que a ausência de Deus no coração do homem.

A passagem de fundamentação, cristocêntrica, de nosso carisma encontra-se na passagem do Evangelho de S. João 3, 14-17:

Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem, para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna. Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele.”

Esta passagem passa a ser um tratado de nosso carisma, no alto do madeiro está Jesus, o Senhor Jesus (“Regnavit a ligno Deus” – Deus reinou do alto do madeiro) e ali, homem das dores, desfigurado pelo pecado do mundo inteiro, Ele, doa-se como eterno Amor, Amor Incondicional de Deus por toda a Humanidade. Desejamos e temos como meta a vivência da incondicionalidade do Amor que é o próprio Deus em todos os momentos de nossa vida e para com todas as pessoas.

Para configurarmo-nos a imagem do Amor Incondicional adotamos como prática de vida espiritual a contemplação da Paixão de Cristo na perspectiva da “Alegria da Paixão”. Na cruz está toda a potência da Ressurreição, de maneira alguma devemos nos entristecer com a morte de Jesus. Sua morte trouxe vida para nós, na Salvação encontramos o único motivo da nossa alegria.  

CIC 160 – “Cristo deu testemunho da verdade, mas não quis impô-la pela força aos que a ela resistiam. Seu reino...se estende graças ao amor com que Cristo exaltado na cruz atrai a si os homens.

No testemunho de Amor de Jesus queremos também testemunhar que a Paixão, a cruz de Jesus é sinal de reconciliação com Deus. O coração transpassado de Jesus é, verdadeiramente, a porta que nos permite aproximarmo-nos do Reino de Deus. Na escola do Amor e do sofrimento seremos forjados para a santidade.

“A mensagem da Cruz é uma lição de amor, gratuito, generoso, radical porque se exprime no dom da própria vida.” João Paulo II

CIC 517 – “Toda a vida de Cristo é mistério de Redenção. A redenção nos vem antes de tudo pelo sangue da Cruz, mas este mistério está em ação em toda a vida de Cristo: já na sua Encarnação, pela qual, fazendo-se pobre, nos enriqueceu pela sua pobreza; na sua vida oculta, que, pela sua submissão, serve de reparação para a nossa insubmissão; na sua palavra que purifica seus ouvintes; nas suas curas e nos seus exorcismos, pelos quais “levou nossas fraquezas e carregou nossas doenças” (Mt 8,17), na sua Ressurreição pela qual nos justifica.




 
 
 

Artigo Visto: 726 - Impresso: 86 - Enviado: 13
Ajude a manter a nossa obra de evangelização e o nosso site no ar, faça uma doação.

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.cidadaosdoinfinito.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 73 - Total Visitas Únicas: 276952 - Usuários online: 9