COMUNIDADES DE VIDA E ORAÇÃO - Vigiai, porque não sabeis a hora em que virá o Senhor (Mateus 24,42)
Documento sem título
 




 
 
28/08/2012
SÃO MALAQUIAS E OS PAPAS DO ÚLTIMOS TEMPOS
“Roma, a criminosa, será destruída, e o Tremendo Juiz julgará triunfante todas as nações”
 
"Durante a última perseguição à Santa Igreja Romana, Pedro rege sobre os romanos. Ele conduzirá seu rebanho para uma época de grandes confusões. Depois disso, a cidade das sete colinas será destruída e o mais terrível julgamento se abaterá sobre o povo. Fim".

Este é o final de uma profecia que apareceu em 1595 e que, já naquela época, devia ter uns 450 anos. Acreditava-se que ela provinha diretamente do sagrado bispo Malaquias de Armagh, morto em novembro de 1148. Séculos depois é que suas profecias apareceram, tendo sido publicadas pela primeira vez pelo monge belga Arnold Wion, na sua obra Lebensbaum (Árvore da Vida).

As profecias de São Malaquias são, na verdade, frases em latim, curtas e secas, fazendo referência a 111 papas, começando por Celestino II (1143-1144) indo até o (suposto) último papa -- Pedro, o romano. Suas profecias formam uma lista de 111 linhas, contendo dois ou três conceitos escritos em latim e que são lidos ou interpretados como máximas heráldicas. Muita gente acredita que se trata de falsificação, feita por pessoas que queriam influenciar a escolha dos papas. Falsificação ou não, há sempre muita coincidência, todas elas se confirmando ao longo do tempo.

A primeira máxima diz Ex castro Tiberis (Que veio do Castelo do Tibre). De fato, o primeiro papa da lista, Celestino II, nasceu em Titerna, um forte construído sobre o rio Tibre. O papa Adriano IV, (1154) foi designado como De rure albo (Do país albion ou de um país branco). Adriano foi conhecido como o "papa branco", por ter vindo da Inglaterra, tendo ainda servido de representante papal nos países nórdicos. Pio III foi papa por 26 dias, em 1503, e era esperado com o anunciado de De parvo homine (um homem pequeno). Coincidência ou não, o sobrenome de Pio III era Piccolomini (homem pequeno, em italiano).

Para o século XX, segundo o papa Benedito XV, era esperada a designação religio depopulata (religião despovoada). O papa Benedito assumiu o trono em 1914, no começo da I Guerra, que dizimou alguns milhões de fiéis em toda a Europa. O papa número 105 da lista está como Fides intrepida (fé intrépida), um lema que se aplicou ao papa Pio XI (1922-1939) - chamado de o papa das missões.

Seu sucessor, na lista de São Malaquias, era apontado como Pastor angelicus. Pio XII, pelo seu trabalho e pelas suas características, confirma essa designação. Igualmente João XXIII confirmou a designação de São Malaquias, com seu Pastor et nauta (pastor e navegador). João XXIII nasceu, de família de pastores, em Veneza. Como pastor do rebanho católico se saiu muito bem, tendo sido admirado inclusive por não-católicos. Paulo VI foi a Flos florum (flor das flores). Por coincidência, seu brasão ostentava uma flor de lis.

Depois de João Paulo II apenas mais dois papas o seguirão. João Paulo I foi o De medietate lune (a meia-lua). A coincidência encontrada foi o seu nome anterior: Albino Luciani (luz branca, em italiano). Outros preferem ver o curto tempo que ficou no trono: 34 dias. O atual papa, João Paulo II, na lista de São Malaquias, é o De labore solis (do trabalho do sol). Karol Wojtyla é de Cracóvia, lugar onde Copérnico estudou e confirmou que era a Terra que girava em torno do Sol. Além do mais, há uma coincidência no ano de nascimento de Wojtyla: houve um eclipse do sol. Há uma terceira coincidência: no ano em que João Paulo II assumiu o trono, o sol estava entrando num período de solionensius (1978).

Após João Paulo II virão, de acordo com a lista de São Malaquias, o Gloria olivae (glória da oliveira) e o Petrus romanus (Pedro, o romano). Há uma outra profecia, datada do século VI, feita por um monge beneditino, que diz que a Ordem dos Beneditinos conduzirá o povo católico no final dos tempos. Os beneditinos, por coincidência, são conhecidos como os "olivetanos".

Finalmente, Petrus romanus. Esse papa não será enterrado no Vaticano. Assistirá ao fim do catolicismo e verá a "cidade das sete colinas" (Roma) ser destruída. Evidente que a Igreja Católica não aceita essa profecia, como, aliás, não aceitou as verdadeiras palavras contidas no Terceiro Segredo de Fátima.

Em 1909, quando o papa Pio X dava uma audiência, sentiu-se subitamente mal. Quando voltou a si, comentou: "O que vejo é terrível. Serei eu? Será meu sucessor? O certo é que o papa sairá de Roma e, ao deixar o Vaticano, terá de caminhar sobre os cadáveres de seus sacerdotes".

Malaquias de Armag foi contemporâneo e amigo do grande Bernardo de Claraval, fundador da poderosa ordem militar esotérica dos Templários.

Este monge  escreveu uma série de profecias sobre os tempos do fim. Porém, para não ser perseguido e morto, viveu discretamente entre os monges católicos.

Foram descobertos no Museu do Vaticano textos manuscritos de Malaquias, bispo irlandês do século 12, e esses textos proféticos citam o fim de nossa civilização, com uma peculiaridade especial, qual seja: fixando o número preciso de papas da seita católica que se haveriam de suceder em Roma, desde a época em que ele viveu até o fim dos tempos.

Constam essas profecias, de 112 sentenças curtas, fornecendo os caracteres dos papas católicos, desde Celestino II, em 1143, até o último pontífice, Pedro II, que ocupará o trono do Vaticano no meio de extremos sofrimentos mundiais.

Esse Pedro II sucederá o papa atual, Bento XVI (Joseph Ratzinger), será testemunha do início das comoções que abalarão o planeta. Mera coincidência quanto à profecias sobre 2012?

Dessa vasta lista, citemos apenas os últimos 15 papas que indicam o sinal do fim dos tempos e como eles eram designados por São Malaquias:

Peregrinus Apostolicus, Aquila Rapax, De Balneis Etruriae, Crux De Cruce, Lumen In Coeluo, Ignis Ardens, Religio Depopulata, Fides Intrepida, Pastor Angelicus, Pastor Et Nauta, Flos Florum, De Medietate Lunae, De Labore Solis, Gloria Olivae E Finalmente Petrus II.


Peregrinus Apostolicus - Em 1775 foi eleito o papa Pio VI. Por ir contra o despótico Napoleão, esse papa foi expulso de Roma, sendo levado por esse imperador francês até Valença, morrendo ali. Ou seja, morreu exilado, como um peregrino apóstolo, longe de sua terra.
Aquila Rapax - Esse papa, Pio VII, viveu sob o domínio militar de Napoleão Bonaparte, cujo símbolo foi uma águia imperial (aquila rapax significa águia de rapina, destruidora).
De Balneis Etruriae - O papa Gregório XVI pertenceu à Ordem que São Romualdo, fundada em Balnes, na Etrúria, de modo que seu qualificativo é perfeitamente identificável pela sua origem religiosa.
Crux de Cruce - Pio IX teve um pontificado que foi, de fato, uma dolorosa e pesada cruz. Este papa e Vitor Emanuel, sendo ambos da casa de Savóia (em cujos escudos se vê a cruz), sofreram e foram espoliados pela terrível revolução italiana. Morreu encerado no Vaticano. Ou seja, a “Cruz da Cruz” (o martírio de um papa que foi da casa dos Savóia).
Lumen in Coeluo - Leão XIII, apesar de seus excessos de conselhos, advertências e encíclicas, foi considerado um luzeiro para sua época, amante da ciência e das artes. Lumen in Coeluo significa luz no céu.
Ignis Ardens - O dístico completo que São Malaquias deu ao papa Pio X é: Ignis Ardens Funatus de Littore Veniet. Esse papa tinha no seu escudo uma estrela (ignis ardens), uma âncora (funatus, que quer dizer ancorado), e ele da margem do mar de Veneza (de littore veniet).
Religio Depopulata - A Bento XV é atribuído, na profecia de São Malaquias, o dístico Ecce Religio Populata et Satanae Soboles Saevissima, que quer dizer: “Eis a religião despovoada e a raça cruel de Satanás”. E Malaquias ainda acrescenta: Su, italiano liga! “De pé, liga italiana! A falta de amor, caridade e religiosidade assolou a Europa e o mundo durante a Primeira Guerra Mundial, matando milhões de pessoas. E após a Guerra veio a crise, a fome, a miséria, as pestes, o comunismo, a gripe espanhola… (Religio Depopulata, as religiões abandonadas, despovoadas, os corações cheios de ódio no mundo.)
Fides Intrepida - Leia a frase usada para designar esse guia da seita católica: “Eis a fé que não estremece e a imolação predita. Vitória santa certíssima. Nosso santo padre Pio XI, Rei na Itália! Que a Cidade Santa tenha fé em seus méritos”. Note que Malaquias usa a frase “Rei na Itália” e não Rei da Itália. Por quê? Pelos Pactos de Latrão, Mussolini reconhece a soberania papal unicamente num pedaço de Roma, ou seja, no Vaticano: Um Rei na (ou seja, dentro da) Itália!
Pastor Angelicus - Este papa, Pio XII, reinante em 1942, era um grande amante da ciência, especialmente das ciências que estudavam os céus (ou seja, a morada dos anjos).
Outra interpretação reza que esse papa era na verdade um mago negro, de alta estirpe em sua hierarquia negra. Portanto, era um “guia de anjos”, porém de “anjos caídos”. Muitos o chamaram de “O Papa Nazista”.

Pastor et Nauta -
João XXIII, homem de bondoso coração, foi guiado pela Grande Fraternidade Branca para tentar reconciliar as religiões monoteístas, por isso, sendo considerado um cultuador da fraternidade entre os homens, um verdadeiro Pastor. O termo Nauta (timoneiro) também refere-se a Veneza, cidade alagada, onde nasceu. Conhecedor da terrível “3ª Mensagem de Fátima”, João XXIII lutou intensamente pela paz mundial, na época da Guerra Fria. Foi chamado por Malaquias de “O Rei Pacífico”.
Flos Florum - Sua tradução é: “Flor das Flores”, devido à flor-de-lis do escudo do papa Paulo VI.
De Medietate Lunae - Ou, Da Meia-Lua. O papa João Paulo I morreu um mês após se tornar papa. Diz um dos vários livros que contam sobre o caso deste pontífice que ele foi assassinado ao tentar “sanear” o banco do Vaticano e anular a influência da máfia italiana. São Malaquias inclui uma frase sobre este papa: Salve amore, pater nostro, mediatore sactissimo, presunta victima (Salve, amado pai, santo mediador, futura vítima).
De Labore Solis Optimo - Pelo excelente Trabalho do Sol.
O papa João Paulo II foi um incansável trabalhador, tendo sido o papa que mais viajou em redor do mundo.
Grande inimigo do comunismo, consagrou a União Soviética ao coração da Virgem Maria.
Gloria Olivae – O atual papa, Bento 16, que foi líder da Santa Inquisição e da Ordem dos Olivetanos, irá reinar em relativa paz. Sem muitas informações adicionais que caracterizem um pontificado agitado. Afora, é claro, os inúmeros casos de homossexualismo e pedofilia entre os membros do clero católico.
Petrus II - O Grande Iniciado Malaquias usa a seguinte frase para explicar o momento desse papa: Tu, in desolacione suprema sede. Ecce Petrus Romanus, ultimus Dei veri Pontifex! Tradução: “Na suprema desolação do mundo, reinará Pedro, o Romano, o último papa do Deus verdadeiro!”

E o profeta termina a descrição dos acontecimentos que se avizinham afirmando: Roma nefans destruitor et judex tremendus judicabit triumphans omnes populos.

Tradução livre:

“Roma, a criminosa, será destruída, e o Tremendo Juiz julgará triunfante todas as nações”.

Fonte: www.gnose.org.br



 
 
 

Artigo Visto: 1562 - Impresso: 70 - Enviado: 18
Ajude a manter a nossa obra de evangelização e o nosso site no ar, faça uma doação.

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.cidadaosdoinfinito.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 247 - Total Visitas Únicas: 304212 - Usuários online: 38